Formas Farmacêuticas Líquidas

SOLUÇÕES – São preparações líquidas homogêneas que contêm uma ou mais substâncias químicas dissolvidas em solvente adequado ou em uma mistura de solventes mutuamente miscíveis. Em relação ao seu uso, uma solução farmacêutica pode ser classificada como oral, tópica, oftálmica, otológica, nasal e parenteral.

SOLUÇÕES NASAIS – São destinadas ao tratamento local ou sistêmico. Devem ser pingadas ou instiladas na cavidade nasal.
Ex.: Rinosoro.


SOLUÇÕES ORAIS – As soluções são vantajosas em relação às cápsulas e aos comprimidos devido a sua rapidez de absorção e facilidade de deglutição principalmente em idosos e crianças.
Em relação às suspensões, as soluções levam vantagem por apresentar homogeneidade na dose, ou seja, não precisa ser agitada antes de usar como a suspensão.
As desvantagens são: dificuldade de acondicionamento, transporte e menor estabilidade físico-química e microbiológica em relação às formas farmacêuticas sólidas. A solubilidade do princípio ativo pode acarretar sabor desagradável.
Ex.: Novalgina solução oral.

SOLUÇÕES OTOLÓGICAS – São formas farmacêuticas destinadas para aplicação no canal auditivo. Utilizadas para remoção do cerúmen, infecções e inflamações.
Ex.: Cloranfenicol solução otológica


SOLUÇÕES TÓPICAS – São preparações que devem ser administradas sobre a superfície da pele ou do couro cabeludo.
Ex.: Ilosone solução tópica.

SOLUÇÕES INJETÁVEIS – São soluções destinadas a ser administradas pela via parenteral (injeções). São utilizadas em situações que se precisa de uma resposta rápida e sua utilização requer cuidados de aplicação e assepsia.
Ex.: Voltaren injetável.


 

COLÍRIOS – Formas farmacêuticas líquidas estéreis para administração nos olhos. Utilizados para lubrificação ocular, descongestionantes, alergias, infecções, inflamações ou controle de algumas doenças como glaucoma.
Ex.: Xalatan, Lacrima plus.


ELIXIR – Solução hidroalcoólica de sabor agradável e adocicado, apresentando teor alcoólico na faixa de 20 a 50%.
Ex.: Decadron elixir.

 

COLUTÓRIOS - Solução destinada à aplicação bucal para agir sobre as gengivas e as mucosas da boca e da garganta. Não deve ser engolida.
Ex.: Flogoral colutório.


XAROPES – São preparações farmacêuticas que contêm açúcar, como a sacarose e podem conter substâncias flavorizantes/aromatizantes (morango, framboesa).
Ex.: Notuss xarope.


ENEMAS – São preparações líquidas destinadas à aplicação retal com finalidade laxativo ou para fins de diagnóstico.
Ex.: Phosfoenema.

 

EDULITO – São formas farmacêuticas líquidas para uso oral isenta de sacarose, também conhecidas popularmente como “xarope sem açúcar” ou “xarope para diabéticos”. O açúcar geralmente é substituído pelo aspartame ou sacarina sódica.
Ex.: Aeroflux edulito.

 

 

SUSPENSÕES – Forma farmacêutica líquida que contém partículas sólidas dispersas em um veículo líquido, no qual as partículas não são solúveis. Quando em repouso as partículas se depositam no fundo do frasco. Antes da administração, o frasco com a suspensão deve ser bem agitado para que as partículas se misturem no líquido. A suspensão pode vir pronta de fábrica ou pode trazer apenas o frasco com o pó e as instruções para sua preparação e chamadas de suspensões extemporâneas.
Ex.: Amoxil BD 400 mg suspensão oral.

 

 

LOÇÕES – Forma farmacêutica líquida podendo ser perfumada, utilizada no tratamento externo da pele ou couro cabeludo.
Ex.: Micolamina loção.

 

 

EMULSÕES – Forma farmacêutica líquida de um ou mais princípios ativos que consiste de um sistema de duas fases que envolvem pelo menos dois líquidos imiscíveis (que não se misturam) e na qual um líquido é disperso na forma de pequenas gotas (fase interna ou dispersa) através de outro líquido (fase externa ou contínua). Normalmente é estabilizada através de um ou mais agentes emulsificantes.
Podem ser de uso interno ou externo.
Ex.: Emulsão de Scott, Proderm emulsão


TINTURAS – Solução alcoólica ou hidroalcoólica preparada por materiais vegetais, minerais ou animais, destinadas à aplicação na superfície da pele ou uso interno.
Ex.: Tintura de iodo.

 

ÓLEOS MEDICINAIS – São preparações líquidas obtidas a partir da mistura de princípios ativos com óleo. Podem ser de uso interno, como os óleos utilizados para fins laxativos, ou de uso externo para obter hidratação da superfície da pele, dependendo do tipo de princípio ativo, por exemplo, o óleo de girassol que tem alto poder hidratante, previne formação de cicatrizes melhorando a aparência da pele.
Ex.: Laxol, Óleo de amêndoas.


COLÓDIOS – São utilizados como veículos em formas farmacêuticas calicidas.
Ex.: Kallo Plast

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

    • ALLEN, Jr Loyd; POPOVICH,  Nichola; ANSEL, Howard. Formas farmacêuticas e sistemas de liberação de fármacos. 8. ed. Artmed, 2007.
    • GILMAN, Alfred Goodman. As bases farmacológicas da terapêutica. 10. ed. McGraw-Hill, 2004.
    • DEF – Dicionário de especialidades farmacêuticas.EPUC, 2012.
    • ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br. Acesso em 10 abril 2013.